O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

 
Bem-vindo

TRABALHADORES DA ALIMENTAÇÃO SOFRERAM VIOLÊNCIA DA PM EM SOROCABA

Por volta das 5h30 da manhã, no dia 16 de junho, foi realizada assembleia pelo Sindicato dos Trabalhadores da Alimentação de Sorocaba, com participação e apoio da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias da Alimentação do Estado e outros sindicatos, na indústria Campari, com o objetivo de levar informações aos trabalhadores do andamento das negociações de reajuste salarial referente a data base de 01/05.
Nessa ocasião trabalhadores e diretores do sindicato que participavam do evento protestaram contra a violência por parte da PM. O motivo é que o comando da polícia atendeu ao pedido da direção da empresa para pressionar os trabalhadores, autorizando que um caminhão passasse por cima dos presentes no local.
O presidente da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias da Alimentação do Estado de S. Paulo (Fetiasp), Melquíades de Araújo, enviou um ofício ao secretário Fernando Grella Vieira, da Segurança Pública, protestando contra a atitude violenta da Polícia Militar contra trabalhadores da indústria Campari, em Sorocaba. Ele e os 38 sindicatos dos trabalhadores do setor de bebidas do Estado pedem a instauração de inquérito para apurar as denúncias que apresentaram.
Em resposta, no dia 28/07/2014 os representantes sindicais se reuniram com o secretário Fernando Grella Vieira, que se comprometeu a apurar os fatos e tomar as providencias cabíveis ao caso.
A medida foi apoiada pelo presidente da Força Sindical, Miguel Torres, destacando que é um direito dos trabalhadores se reunirem em assembleia e se manifestarem.
Vale informar, que não se tratava de greve, mas de simples assembleia, cujas negociações encontra-se em andamento com propostas de parte a parte, tendo como data-base 1º de Maio. A assembleia era conduzida pelos dirigentes de nosso filiado, Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Sorocaba, com a participação de representantes desta Federação, que é a coordenadora das negociações que são de âmbito estadual.
A PM, ao determinar que a carreta passasse por cima da manifestação acabou atingiu a moto de trabalhador que participava do evento, amassando-a. Por sorte o trabalhador saltou da mesma antes de ser atingida. O Sindicato da Alimentação também responsabiliza o motorista da carreta que acatou a ordem do policial sem prever as consequências, sendo que poderia ter entrado na empresa sem causar danos.